Projeto Selo Proar é apresentado ao Vice-governador Lincoln Tejota

A ferramenta já foi implantada na Paraíba e em Pernambuco e tem como objetivo beneficiar e consolidar as boas práticas para o desenvolvimento sustentável do setor agropecuário e energético

Na tarde desta quinta-feira, 15, o vice-governador Lincoln Tejota reuniu-se com representantes do governo estadual e do Centro de Inovação em Política Econômica e Direito para conhecer o projeto “Selo Proar” que tem como proposta atestar a efetividade dos processos de produção agrícola, tornando-os rastreáveis e infraudáveis.

O Selo Proar ou Selo Verde tem como objetivo beneficiar e consolidar as boas práticas para o desenvolvimento sustentável do setor agropecuário e energético. De acordo com a Dr. Larissa Almeida, o programa já foi implementado em Pernambuco, Paraíba e deve ser expandido em breve para outros estados. “Goiás tem grande potencial em várias áreas e principalmente no campo, um ponto forte para a implantação do Selo Proar. Queremos unir a tecnologia que temos à estrutura do governo de Goiás e estimular a cadeia produtiva local”, destacou.

O vice-governador Lincoln Tejota, ressaltou durante a apresentação que toda ação que contribui para o desenvolvimento do estado e para melhoria da qualidade de vida do povo goiano é positiva para o governo. “Nosso Estado tem realmente uma força maior no campo e atualmente o agronegócio é responsável por 80% das exportações de Goiás. Precisamos incentivar nossos produtores a seguirem as práticas socioambientais", explicou Tejota.

Lincoln destacou ainda o programa do governo estadual, Tesouro Verde que tem uma ampla relação com o Selo Proar: a preservação do meio ambiente.  O programa do governo de Goiás alia desenvolvimento econômico à preservação ambiental, criando condições para que os créditos de florestas sejam disponibilizados no mercado para comercialização, considerados ativos de natureza intangível originários da atividade de conservação e ampliação de florestas nativas tanto públicas quanto privadas. Atualmente o projeto está sendo remodelamento para dar um maior enfoque ao produtor rural que realmente preserva e conserva florestas nativas.

Os próximos passos serão de discussões entre as pastas envolvidas e os representantes do governo estadual e do Centro de Inovação em Política Economia e Direito para que sejam aprimoradas as potencialidades da nova ferramenta de gestão e a possível implementação do programa em Goiás.

Participaram da reunião o secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), Antônio César subsecretário de Fomento e Competitividade, Bruno Netto, subsecretária de Desenvolvimento Sustentável, Proteção Ambiental e Unidades de Conservação da Secretaria de Meio Ambiente, Vanessa Schimitt, superintendente de Economia Criativa da Secretaria da Retomada, Décio Coutinho, Superintendente de Negócios Internacionais da Secretaria Estadual de Desenvolvimento e Inovação (Sedi), Edival Lourenço Júnior, Superintendente de Produção Rural Sustentável da Seapa, Donalvan Maia, Superintendente da Retomada, Trabalho, Emprego e Renda da Secretaria da Retomada, Décio Tavares, advogada e servidora pública,  Josie Marçal e os representantes do Centro de Inovação em Política Economia e Direito, Larissa Almeida e Leandro Mello Mota.

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.