“Outra realidade”: mineradoras aprovam novo processo de licenciamento ambiental de Goiás

Vice-governador Lincoln Tejota esteve em Catalão e Ouvidor para conhecer o funcionamento das mineradoras Mosaic Fertilizantes e CMOC Brasil

O vice-governador Lincoln Tejota esteve na região sudeste de Goiás, durante a última quarta- feira, 14, para conhecer o processo produtivo de duas mineradoras instaladas nos municípios de Catalão e Ouvidor. Em ambas as visitas, Tejota ouviu elogios sobre o novo processo de licenciamento ambiental projetado pela Secretaria de Meio Ambiente (SEMAD) no último ano. "Esse é um setor ligado às origens do nosso estado e fundamental para a retomada da economia em Goiás", frisou o vice-governador.

“Outra realidade”, foi assim que o gerente em Relações Governamentais da CMOC Brasil, Henrique Anadan, se referiu ao modelo atual implantado pelo Governo de Goiás no processo de emissão de licenças ambientais. A CMOC Brasil é subsidiária da China Molybdenum (CMOC) e atua na mineração e no beneficiamento de nióbio e fosfatos.

Por ano, a mineradora gera mais de R$ 45 milhões de Impostos Estaduais e R$ 15 milhões de impostos municipais para as cidades de Catalão e Ouvidor. Além de empregar 4,6 mil trabalhadores diretos e 46 mil indiretos.

A Mosaic Fertilizantes também recebeu a comitiva do Governo de Goiás. A empresa tem atuação em mais de 40 países e sedes nos municípios de Catalão e Rio Verde, de onde saem 30% do total da produção estadual de fertilizantes.

“Queremos dar o recado para o restante do Brasil e para o mundo que o setor de mineração encontra um cenário positivo em Goiás”, afirmou o subsecretário de Fomento e Competitividade da Secretaria de Indústria, Comércio e Serviços (SIC), Bruno Netto Do Espírito Santo, que tem estreitado parcerias com o setor e estava acompanhado do superintendente de Mineração da SIC, Denilson Martins Arruda. O vice-presidente da Agência de Habitação (Agehab), Luiz Sampaio, também compôs a comitiva governamental.