Quarentena: Poderes e entidades corroboram posição do governador

Autoridades que participaram da videoconferência com o governador Ronaldo Caiado defendem que alternar períodos de fechamento com de abertura do comércio é solução de equilíbrio. Medida também foi sugerida por pesquisadores para evitar que número de mortes por Covid-19 no Estado chegue a 18 mil

Autoridades que participaram da videoconferência com o governador Ronaldo Caiado defendem que alternar períodos de fechamento com de abertura do comércio é solução de equilíbrio. Medida também foi sugerida por pesquisadores para evitar que número de mortes por Covid-19 no Estado chegue a 18 mil

Prefeitos, representantes do Legislativo e Judiciário avalizaram a decisão do governador Ronaldo Caiado de decretar, a partir desta terça-feira (30/06), quarentena alternada em Goiás. Determinação que deve ser avaliada por cada prefeitura, em particular. O apoio maciço – ao que definiram como “solução de equilíbrio” – foi demonstrado durante a videoconferência realizada na manhã desta segunda-feira (29/06) e que reuniu prefeitos goianos e demais autoridades estaduais para conhecerem as projeções, promovidas com base científicas, de contaminados e números de óbitos que podem ocorrer em todo o Estado nas próximas semanas. A explanação foi realizada pelo professor e doutor Thiago Rangel, da Universidade Federal de Goiás (UFG).

“É preciso que tenhamos a consciência de que não há uma deliberada liberdade para cada um fazer o que quer. Precisamos de uma coordenação”, afirmou o procurador-geral de Justiça, Aylton Vechi. “A falta de uma coordenação pode levar à perda de vidas, e o Ministério Público, neste aspecto, tudo fará dentro dos limites legais e judiciais para que haja a preservação da vida, sem o comprometimento da subsistência e da economia”, ressaltou. Ele defende que haja equilíbrio entre a economia e a vida, e que o relatório elaborado pelos cientistas e pesquisadores da UFG alcançou esse objetivo: “A medida é corretíssima, cientificamente embasada.” E completou: “Quero dizer que contará com toda a força do Ministério Público para essa atuação e para a implementação dessas medidas”. 

O presidente da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), deputado estadual Lissauer Vieira, destacou as medidas de combate e prevenção à Covid-19 implantadas no Poder Legislativo e declarou apoio ao fechamento em todo o Estado de Goiás. “Chegou a hora de tomar as atitudes necessárias”, disse Lissauer. O presidente ainda reforçou que auxiliará na conscientização dos gestores municipais sobre a adesão da quarentena: “Então estamos de acordo, referendamos todo o seu trabalho, aprovamos essa medida e pedimos aos prefeitos, que têm a prerrogativa, que possam seguir o decreto ou as determinações do Governo do Estado, através da UFG”. 

Da mesma forma, o desembargador Nicomedes Domingos Borges, vice-presidente do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJ-GO), falou sobre a luta que os goianos vêm travando contra o novo coronavírus, mas que o Judiciário também concede o aval para o avanço do isolamento social. “Isso é demonstração de maturidade política, de responsabilidade nesse momento de crise, e estou inteiramente de acordo com as medidas que o senhor [governador] já anunciou que serão tomadas a partir de amanhã”, declarou.

O defensor público-geral Domilson Rabelo da Silva Júnior também participou da reunião e utilizou a palavra para agradecer e elogiar as explanações técnicas do professor doutor Thiago, além de apoiar a quarentena. “Um lockdown alternado ressoa tecnicamente como uma solução de equilíbrio, razão pela qual tem o apoio da Defensoria Pública”. O defensor ainda fez questão de conclamar os prefeitos e prefeitas goianos a assumirem uma “gestão responsável”. “Nossa sugestão é que esses prefeitos, que todos os poderes, membros de órgãos autônomos, que identifiquemos essa comunicação, essa informação, porque a saúde é coletiva, é um bem maior. Tudo que foi exposto indica e sinaliza um colapso se não agirmos rapidamente”, alertou Domilson Rabelo.

Já o presidente do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM-GO), conselheiro Joaquim de Castro, enfatizou a importância da adoção de posturas com base na ciência. “O senhor [governador] está dando aos prefeitos base científica para que eles possam tomar as decisões, não está sendo nada no achismo. Vamos fazer isso porque temos o embasamento científico para agir dessa maneira. O senhor está de parabéns pela condução desse trabalho”, disse o conselheiro em elogio a Ronaldo Caiado. O presidente do Tribunal de Contas do Estado de Goiás (TCE-GO), Celmar Rech, também se manifestou argumentando que a quarentena de 14 dias, em forma de revezamento e monitorando os contaminados, é mais favorável do que um lockdown. “Da parte do TCE, governador, penso que acatar essa tese, cientificamente sugerida pela UFG, é, nesse momento, sim, o melhor caminho”, disse.

Segmentos empresarial e político

Representando o segmento empresarial, o presidente da Associação Pró-Desenvolvimento Industrial do Estado de Goiás (Adial), Otávio Lage de Siqueira Filho, realçou que as empresas e indústrias já fazem o monitoramento dos funcionários, o que tem gerado resultados positivos, e que também estão de acordo com a decisão do governador. “Somos favoráveis à melhor situação para que evitemos mortes e que a gente possa colaborar no sentido de apoiar essa medida”, anunciou. Otávio Lage.

O presidente da Federação Goiana dos Municípios (FGM) e prefeito de Porteirão, José de Sousa Cunha, comentou sobre as dificuldades enfrentadas pelas cidades goianas e pediu à Secretaria de Estado da Saúde (SES-GO) que disponibilize orientações específicas aos gestores municipais para que seja viabilizada a quarentena no interior de Goiás. “Cada município vai tomar sua decisão. Tenho certeza que todos os prefeitos e prefeitas estão preocupados com a vida das pessoas e em seguir realmente as orientações que vem do Estado”, informou. 

Diretamente da Câmara dos Deputados, a líder do governo e deputada federal Flávia Morais defendeu as posições de Ronaldo Caiado em prol da vida. “E com respaldo científico, respeitando essa demanda tão importante que vivemos no mundo inteiro”, apontou. A deputada solicitou aos prefeitos que sigam as recomendações propostas durante a reunião. “Quero declarar nosso apoio a essa decisão e fazer um apelo a todos os prefeitos que, têm autonomia de gerir em seus municípios e definir qual será o tipo de bloqueio, mas que acompanhem o decreto estadual para que a gente tenha o mínimo de óbitos possível no Estado”, declarou. 

Também presente à reunião virtual, o senador Luiz Carlos do Carmo reiterou a relevância das posições tomadas pelo Estado a partir de estudos técnicos e científicos e que, desde o início do enfrentamento à pandemia, o governador tem agido corretamente, priorizando a cidadão dos cidadãos. “Ele tomou a decisão certa no início. Temos que informar a população de Goiás de que isso é necessário”, sugeriu Luiz do Carmo.

Goiânia

Ao final da reunião, o prefeito de Goiânia, Iris Rezende, evidenciou os investimentos executados na área de saúde nos últimos meses, com a abertura de 100 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para tratamento de pacientes com Covid-19. Iris também enalteceu o governador e garantiu que seguirá as recomendações do Governo de Goiás: “A preocupação de vossa excelência realmente é merecedora do nosso respeito e até das nossas homenagens”, e completou: “Estamos aqui acompanhando todas as diretrizes ditadas por vossa excelência e, assim, acompanharemos”, concluiu.

Secretaria de Comunicação - Governo de Goiás