"É preciso entender a gravidade do momento que estamos vivendo", avalia Lincoln Tejota

Em entrevista ao jornal O Popular, vice-governador falou do enfrentamento ao coronavírus e também das eleições municipais

Vice-governador e repórter do Jornal O Popular durante entrevista por vídeoconferência

O vice-governador de Goiás, Lincoln Tejota foi o convidado da live do jornal O Popular da noite desta terça-feira 10, apresentada pela jornalista Karla Araújo. As ações do governo estadual no enfrentamento do coronavírus e as eleições municipais foram alguns dos assuntos abordados no bate-papo.


A recente reunião com prefeitos goianos, realizada na noite desta segunda-feira (18), também foi discutida e Tejota avaliou a medida do governador Ronaldo Caiado como responsável e inteligente. “Essas discussões são importantes para chegarmos a um denominador comum, e o nosso foco é dar respostas à nossa população. Cada município possui uma realidade. Têm cidades que não tem pessoas infectadas pelo vírus ou o número de casos é pequeno. Cada prefeito precisa se adaptar à realidade do seu município e obedecer às regras da Organização Mundial de Saúde (OMS), juntamente com as normas estabelecidas pelas secretarias Estadual e Municipal de Saúde”, afirmou.


Sobre as medidas determinadas pelo governador, Lincoln entende que ele tem conduzido de forma exemplar a situação. Para o vice-governador, muitos goianos ainda não acreditam na potencialidade do vírus em razão das medidas acertadas tomadas pelo Governo de Goiás no início da pandemia, o que fez com que o estado apresentasse resultados melhores que outras unidades da federação.
“Hoje apresentamos números baixos de contágio, se compararmos com outros estados, por conta das ações acertadas tomadas pelo governador Ronaldo Caiado na segunda quinzena de março. Precisamos continuar com esses cuidados para evitarmos o colapso no sistema de saúde. Quando falamos em colapso, eu quero dizer que não conseguiremos atender ninguém, seja paciente com Covid, seja com câncer ou outro problema. Se o cidadão puder ficar em casa fique, e se tiver que sair, use máscara e tenha cuidado”.


Questionado se o posicionamento de parte da população contra o isolamento social tem, de certa forma, relação com o discurso contrário do presidente Jair Bolsonaro, o vice-governador afirmou que acredita nessa influência. “Quando o homem politicamente mais importante do país não leva a pandemia a sério, o cidadão pensa ‘por que eu vou levar? ’ Gera dúvida para o cidadão”, opinou, ressaltando no entanto, que acredita que o presidente está percebendo a gravidade da situação e chamou os governadores para uma reunião na próxima quinta-feira.


Eleições Municipais


Para Tejota, as eleições municipais sofrerão um impacto com a pandemia, pois não tem havido movimentação política. Ele ressalta que, no momento o importante é trabalhar por respostas para a população, salvar vidas e as atividades econômicas também. “Tanto eu como o governador Ronaldo Caiado temos voltado nossas atenções para buscar soluções que atendam a necessidade de nossa sociedade neste período delicado.  No Cidadania, como presidente estadual do partido, tenho orientado a todos que é necessário manter o teletrabalho, o distanciamento e as normas sanitárias de saúde”, declarou.
 
Lincoln finalizou a entrevista falando sobre o trabalho dentro do partido, que começou ainda em fevereiro com sua posse na presidência e deixou claro que o momento é de se preocupar com a população. “Começamos com o trabalho de filiação bem antes do início dessa situação, o que nos garantiu mais de mais de 70 candidatos a prefeito em Goiás, mais de 90 candidaturas a vice-prefeitos e mais de 120 chapas de vereadores montadas. É um número expressivo diante do impacto que tivemos em relação ao vírus. Não podemos parar, pois ainda não sabemos como será a eleição e precisamos estar aptos, preparados para o pleito. Temos conseguido interagir com os presidentes municipais do partido pela internet e é o que tem feito a diferença nessa caminhada. Não tem como não falar em eleição, mas é preciso que todos entendam o que estamos passando e acreditem que, se continuarmos nos protegendo, tudo vai ficar bem muito em breve”, concluiu.