Joaquim Domingos Roriz

1987 a 1991

Joaquim Domingos Roriz nasceu em Luziânia (GO) no dia 4 de agosto de 1936, filho de Lucena Roriz e de Jerzuleta de Aguiar Roriz.

Bacharel em ciências econômicas pela Universidade Federal de Goiás e em ciências jurídicas e sociais pelo Centro de Ensino Unificado de Brasília, trabalhou como contador da Contadoria Geral do Estado de Goiás, fiscal de rendas do estado de Goiás e foi diretor do Departamento de Trânsito de Luziânia.

Chefe de gabinete da prefeitura de Luziânia, deixou o cargo para candidatar-se a vereador por sua cidade natal no pleito de novembro de 1961 e foi eleito. Assumiu uma cadeira em março de 1962 e, com a extinção dos partidos políticos pelo Ato Institucional nº 2 (27/10/1965) e a posterior instauração do bipartidarismo, filiou-se ao Movimento Democrático Brasileiro (MDB), partido de oposição ao regime militar instalado no país em abril de 1964. Encerrou seu mandato em janeiro de 1966.

Foi eleito deputado estadual em novembro de 1978. Elegeu-se deputado federal por Goiás no pleito de novembro de 1982.

Eleito vice-governador de Goiás na chapa encabeçada por Henrique Santillo, na legenda do PMDB, em novembro de 1986, foi empossado no cargo em março de 1987. Pouco depois, foi nomeado por Santillo inteventor estadual na prefeitura de Goiânia, ocupando o cargo de prefeito em substituição ao titular, afastado por problemas de ordem administrativa.
Em 1988, foi convidado pelo então presidente da República José Sarney, amigo da família de Roriz, para ser governador do Distrito Federal no lugar de José Aparecido de Oliveira (1985-1988). Deixando a prefeitura de Goiânia em julho desse ano, assumiu o governo em setembro seguinte. Encerrou o mandato em março de 1990, quando entregou o cargo para o vice, Vanderlei Valim, seu aliado político.

Joaquim Roriz removeu trezentos mil favelados para a periferia de Brasília, por meio de política de distribuição de lotes padronizados.

Aliado do recém-eleito presidente da República Fernando Collor de Melo, foi nomeado ministro da Agricultura do seu governo ainda em março de 1990, mas renunciou após 15 dias para concorrer ao governo do Distrito Federal, nas eleições diretas marcadas para outubro desse ano, como candidato da Coligação Frente Comunidade-PTR-Partido da Renovação Nacional (PRN).
 Elegeu-se governador já no primeiro turno do pleito, com 365 mil votos, correspondente a 57% dos votos. Empossado em março de 1991.
Em outubro de 1988 voltou a disputar o governo do Distrito Federal e venceu no segundo turno, obtendo 51,74% dos votos. Foi empossado em janeiro de 1999.

Foi empossado pela quarta vez no governo do Distrito Federal em 1° de janeiro de 2003. Renunciou em março de 2006, desincompatibilizando-se e lançou-se candidato senador pelo Distrito Federal na legenda do PMDB. Em seu lugar no governo foi empossada a vice, Maria de Lourdes Abadia. No pleito de outubro, Roriz teve mais de seiscentos mil votos e foi eleito.

Assumiu o mandato em fevereiro de 2007  e  no dia 4 de julho Roriz renunciou ao mandato e foi substituído por Gim Argello.
Casou-se com Weslian Peles Roriz, com quem teve três filhas.

FONTES: CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1983-1987); CANDIDATO JOAQUIM RORIZ (1998). Internet; Estado de S. Paulo (29/3 e 24/8/90, 21/8/92, 10/1/94, 18/4, 3/7 e 25/10/98, 25/9/99); Folha de S. Paulo (10/7/90, 9/11/93, 10/1, 28/3 e 15/11/94, 5/7/98); Folha Online (28/10/02, 4/7/07, 12/3/08); Globo (26/4/84, 16/1/85, 12 e 14/1, 28/8 e 20/11/94, 19/9/09); Jornal do Brasil (8/11/93); SENADO. Repertório (2007-2011); Veja (19/1, 27/4 e 15/11/94, 6/2, 1/5, 4/9, 13/11, 4/12/02. 5/2/, 11/6/03; 5/5/04; 27/6, 4, 11/7/07).